PDF
Imprimir
E-mail
O que é a Incompetência

 

Segundo dicionários da língua portuguesa, a palavra "Incompetência" pode ser classificada como imperícia, inabilidade, inaptidão, incapacidade, inexperiência e até mesmo como falta de competência ou de jurisdição. Provavelmente existam mais sinônimos para essa mesma palavra de 13 letras e 6 sílabas.
 
Impressionante como uma única palavra pode ter tantos sinônimos. Mas, o mais impressionante é como essa palavra pode fazer tantos estragos. Que palavra poderosa! Feliz(?) de quem a domina e azar de quem não tem força contra ela. A incompetência é algo tão forte - isso, logicamente, quando permitimos - que é capaz de dominar sociedades, empresas e até mesmo culturas. Um exemplo clássico de incompetência que abrange a maioria dos sinônimos que destacamos acima é o caso de Luís XVI e Maria Antonieta, reis da França no século XVIII. Foram coroados muito jovens, alguns historiadores afirmam que tinham boa vontade e amor pelo povo, enquanto outros são totalmente contrários a essas colocações. Porém, vale lembrar a frase que usaram na coroação: "Que o Senhor nos proteja, pois somos jovens demais para reinar!" Realmente eles eram jovens, mas não foi esse o grande problema e, sim, o fato de que não foram preparados para governar. Não tiveram treinamento necessário. Não tinham conhecimento e nem experiência, e o pior: não tiveram tempo para aprender.
 
 
Tempo - fator importante
 
Quando a incompetência é baseada na falta de conhecimento ou na falta de experiência, o tempo pode ajudar a sanar os problemas, desde que a pessoa, portadora da incompetência aceite e queira aprender para contribuir ao objetivo final da sociedade, empresa ou cultura a qual pertença. É preciso muito esforço, vontade e um pouco de humildade.
 

"A futilidade é a alma gêmea da ignorância.
A arrogância é a alma gêmea da incompetência.
A vaidade é a mãe delas."
Maria Angélica Carnevali Miquelin, advogada.

 
 
Nós do Sindmed do Grande ABC lutamos diariamente contra essa dita incompetência e, francamente, tem sido uma guerra desigual, pois não há tréguas entre as batalhas e algumas vezes poderemos cometer erros por estarmos cansados. Precisamos fortalecer nossos exércitos através de, principalmente, a valorização do médico.
 
É consenso geral de que o ingresso ao curso de medicina exige muitos sacrifícios, o jovem aspirante à carreira tem de abrir mão de divertimentos próprios da idade para conseguir vencer a batalha do vestibular. Sejam faculdades federais, estaduais ou particulares, o curso de medicina tem se mantido como o mais disputado do país.
 
Nós, sindicatos de todo Brasil e Fenam, nos preocupamos muito com o que é ensinado nas faculdades de medicina. Temos plena ciência de que os professores que lecionam nessas instituições são excelentes, como também conhecemos, por experiência própria, o sacrifício que é exigido dos alunos. O que não conseguimos entender é como, depois de anos de dedicação a uma carreira que é comparada a um sacerdócio, alguns se desviam do objetivo principal que é contribuir com a melhor qualidade de vida da humanidade.
 
Como alguns "formados" em medicina conseguem ter a capacidade de serem tão incompetentes a ponto de desonrar a profissão. Acredito que a incompetência consiga destruir mais do que a desonestidade!
 
Recentemente vimos mais um caso de desvalorização ao diploma e a profissão de médico, é o caso do psiquiatra Ubiratan de Magalhães Barbalho que foi flagrado em uma filmagem por uma policial militar a pedido da corregedoria.
 
 
Resumo do caso:
 
O psiquiatra Ubiratan de Magalhães Barbalho, de Cuiabá, fornecia atestados médicos para dispensa de serviço de policiais militares alegando stress, ansiedade, depressão e dores físicas.
 
Esses atestados custavam 150 reais e, se houvesse necessidade de mais algum atestado durante o mesmo mês, seriam cobrados mais 50 reais. Passados 30 dias, os atestados voltariam a custar 150 reais.
 
Esse psiquiatra já tinha sido exonerado do cargo de psiquiatra do sistema penitenciário por improbidade administrativa em 2005 e, em 2007 foi acusado de envolvimento com uma quadrilha de fraudava o INSS em Mato Grosso e outros estados.
 
Uma reportagem completa, inclusive com o vídeo da denúncia pode ser vista no link do programa Fantástico da Rede Globo, basta clicar aqui
 
Imagens da reportagem feita pelo Fantástico:
 
 
 
 
 
Com esse e tantos outros casos ouvidos pelo país é que convoco a todos os MÉDICOS e estudantes de medicina que honrem o sacrifício da profissão. Que se valorizem! Que procurem conhecer e reivindicar seus direitos, mas que jamais se esqueçam do compromisso de ser médico e do juramento de Hipócrates.
 
Porque INCOMPETÊNCIA é uma palavra que está por trás de TODOS os pretextos.
 
 
Abraços,
Ari Wajsfeld
 
 
 

S5 Box

Login



Register

*
*
*
*
*

Fields marked with an asterisk (*) are required.